CUIDADO !!!

18 de novembro de 2012

O MEU mês de Abril


Abriu-se as flores, um novo horizonte, 
abriu o Sol!
Abriu a porta da felicidade, da intensidade,
Um si bemol!
Abriu-se prá mim, feito um jardim repleto,
Do março aberto, de maio a vista...
Abril, o mês 4 do meu ano nascente,
Abril atraente, o mês do inicio de uma nova vida!”


Obs: fora de época mas não fora do contexto da minha vida!...

Por UM espaço



“Eu tenho mais da metade de vida que ela tem.
Talvez não seja tão romântica como ela deve ser,
Talvez não tenha a mesma sensibilidade que ela deve ter...
Talvez não tenha os mesmos sonhos que a idade dela permite crer.
Não temos a mesma geração, nem a mesma compreensão de vida.
A distância entre eu e ela é quase desmedida,
Incluiu idade, habilidade, escultura corporal, status social...
Mas existe algo que nos “une” ou iguala, que ela não teve conhecimento.
Sem saber, disputamos um espaço no peito e na vida de alguém.
Mas ela, de certa forma venceu.
Mesmo sem saber ainda, conseguiu UM espaço.
Só não percebeu que ainda não teve o melhor dele.

A idade que ela tem, dá ela muitas vantagens, dentre elas, a vaidade que a minha idade, (e mentalidade), já não possuem.
Ela tem a presença física dele, a interpretação que ele ensaiou, o que ele oferece, o que a ela bastou.

Eu tive a intensidade de um homem que parecia ter muito mais da metade da minha idade,
Tive suas insanidades desmedidas, compartilhadas com as minhas,
Tive sua atenção, seu carinho, sua preocupação, sua boa e má intenção.
Tive seus pensamentos em mim, seus desejos, seu interior. Sua ligação do exterior...

O que ela levou 4 longos anos prá conseguir dentro da sua pequena idade,
Em 4 meses (e doces longos dias) tive a mais intensa e verdadeira história de amor da minha PEQUENA maior-idade.

O amor realmente não tem idade,
Mas hoje, com mais da metade de vida e história que ela hoje tem,
aprendi que a reciprocidade, não importa se de sentimento ou de intenção,
se tem 15 ou 30, tem que ser na mesma medida.

Por enquanto ela sonha, ela conseguiu UM espaço, mas ainda sem noção
do local que verdadeiramente ocupa naquele coração."


Amor idealizado, amor recompensado.

"Você não é nada do que idealizei...
Mas me deu muito mais do eu tive, 
muito mais do que eu merecia, e é quem eu verdadeiramente amei.


Amor não se idealiza, se agradece."

Efêmero prá sempre !



(...) Ele era inquieto por ela
Ela nutria um desassossego por ele.
Ele era agitado  até se acalmar nos beijos dela
Prá ela, bastava ele ligar e ouvir a voz dele prá mudar a cor do seu dia.
Ele era intenso. Ela incessante.
Ela o atraía de uma forma que ele não entendia.
E cada vez mais a queria.
Ela desistiu de entender porque amava àquela energia.
Da inquietude a curiosidade, da atração ao efêmero,
Os dois fugiram do que já existia...

Ela até tentou explicar, ele não quis entender,
Talvez quis disfarçar prá não assumir
O sentimento que ainda ardia, latente.
Ela incomodava visivelmente sua mente.

Ele ligava incansavelmente, e paciente ela o atendia
Na esperança de ouvir o que o coração dele dizia.
Ele confuso, conversas desconexas mudaram o rumo da sua alegria
Ela preferiu se calar, ele não entendia.
Ele a procurava intensamente, e ela... com a lágrima respondia e a boca emudecida.

Um  silêncio ensurdecedor hoje existe entre os dois.
Um silêncio que grita quando os olhares se esbarram nas esquinas da vida.

Ele talvez ainda se questione, os tantos porque’s de tudo o que houve, na sua mais natural imaturidade.
Ela já tem a resposta. 
Um amor tão maduro, para que seja verdadeiro e intenso, precisa ser vivido por inteiro, e não pela metade.

8 de novembro de 2012

Ainda você...


Dentre tantas "aspas" na minha vida, você é a minha melhor reticência (...)